Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Palestras nas escolas marcam o Setembro Amarelo, mês de Prevenção ao Suicídio, em Maracajá

Publicado em 26/09/2022 às 10:38 - Atualizado em 26/09/2022 às 10:38

Para marcar o Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, o Departamento Municipal de Saúde de Maracajá, realizou na última semana palestra ao alunos da Escola de Educação Básica Municipal 12 de Maio e Escola de Educação Básica Municipal Eulália Oliveira de Bem.

 

A Campanha Setembro Amarelo é realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), e entra no seu oitavo ano e traz como tema 'A vida é a melhor escolha'.

 

Em Maracajá, o Departamento de Saúde promoveu uma palestra educativa e informativa para os estudantes do 6º ao 9º anos, dos períodos matutino e vespertino. Segundo a diretora de Saúde, Michele Gonçalves, é importante falar abertamente sobre saúde mental. "Infelizmente o suicídio ainda é uma palavra evitada em muitos lugares, porém acreditamos que nas escolas o tema tem que ser abordado e debatido, já que há um número expressivo de adolescentes e jovens com transtornos mentais, e muitos casos de suicídio estão ligados à depressão, que hoje atinge muito esse público", relata.

 

A palestra foi realizada pelos psicólogos da Administração Municipal, Marlon Colombo Zeferino e Diego Borba Lima. Entre o temas abordados estavam: o que é suicídio? Pensamento e ideação suicida = Barreiras para detecção do pensamento suicida (tabu); Mitos sobre comportamento suicida e ainda fatores protetores que inclui autoestima elevada; bom suporte familiar; laços sociais bem estabelecidos com a família e amigos; religiosidade; e razão para viver; ausência de doença mental e acesso a serviços e cuidados de saúde mental.

 

Atendimento Especializado

A diretora de Saúde avaliou positivamente a ação. "Doença mental não pode ser tratada como frescura. Temos que falar sim sobre suicídio e sobre a importância do tratamento especializado. Infelizmente o preconceito impede que muitas pessoas procurem ajuda, por isso é importante estarmos atentos aos sinais das pessoas de nossa convivência", relata.

 

Michele lembra que o município disponibiliza atendimento psicológico e psiquiátrico, sendo que já contabilizou este ano 435 atendimentos com psiquiatra e 352 com psicólogo.

 

Serviço de Ajuda

Serviço de Atendimento Psicológico no CEMASAS – Fone: 3523-1354

CRAS - Centro de Referência em Assistência Social – 3523-0318

CVV – Centro de Valorização da Vida - Telefone: 188