---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

#cultura
Festival Nacional de Teatro Revirado tem três espetáculos em Maracajá

Publicado em 13/09/2018 às 15:30 - Atualizado em 13/09/2018 às 15:30

O 2º Festival Nacional de Teatro Revirado, de 18 a 22 de setembro, passará por Maracajá, com três espetáculos, na quarta e na sexta-feira, dias 19 e 21. No dia 19, serão duas apresentações na quadra coberta do Centro Esportivo Municipal Antônio da Rocha, o primeiro com os gaúchos do Grupo Teatro Mototóti, com a peça Vendedor de Palavras, às 9h. Depois, às 14h, será a vez da Cia Khaos Cênica, com a peça "El Grand Scaramouche". Na sexta-feira, dia 21, encerrando as apresentações, será a vez de Paulo Nunes e Vitor Mendes, de São Paulo, apresentar "A Letra e a Voz", no Pavilhão Denei Prezalino Ramos.

O Festival acontece de 18 a 22 de setembro em Içara, Forquilhinha, Siderópolis e Maracajá. No total serão 22 apresentações, envolvendo artistas do Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina, num total de nove cidades diferentes, de teatro, música e dança, além de um debate.

Os espetáculos
Vendedor de Palavras (Teatro Mototóti – RS)
Há uma grande falta de palavras no mundo e as pessoas ficam repetindo e repetindo as mesmas poucas que têm. Se cada palavra vale um pensamento, quanto mais palavras, mais pensamentos! Essa é a descoberta de Milho, um menino do interior que sonha em ir para a capital e encontrar sua “amiga” Espiga, que o espera para juntos encherem o mundo de pensamentos, sonhos e...palavras!!! Os avós de Milho, Odete, uma impertinente senhora alemã; e Adam, um grande inventor Inglês, não irão poupar palavras nem artimanhas para manter o jovem sob suas asas, garantindo boas risadas e o humor próprio do teatro popular, feito para a rua. Máscaras, bonecos e música ao vivo se agregam ao colorido poético da obra. Uma história de amor às palavras, aos livros, e sobretudo, às pessoas!
Classificação: livre

"El Grand Scaramouche" (Khaos Cênica – RS)
El Grand Scaramouche traz para cena os últimos descendentes da família Scaramouche, que viajam com o circo homônimo em condições que lembram muito a etimologia ancestral de seu nome, contudo, quando eles estão diante de mais uma apresentação passam a enfrentar o seu maior desafio: os artistas foram embora e só restam eles para realizar todos os números. Está estabelecida a tragédia do palhaço, gatilho e motor do desenrolar de gags e intermezzos, acrobacias, malabares e números de mágica e ilusionismo, que na tentativa da hipérbole resultam no fracasso, para tristeza dos apresentadores e alegria do público que se diverte.
Este espetáculo de circo contemporâneo, não se resume em divertir, o espetáculo é uma história híbrida, mas, mais que isso fala do amor pelo picadeiro, pelas dificuldades e felicidades, pelo lúdico e pelo encantamento, pela magia, que só presencia que é capaz de vivenciar o efêmero e viajar para pequenas e pueris poesias dessa lona encantadora.
Classificação: livre

"A Letra e a Voz" (São Paulo)
Paulo Nunes é poeta e letrista, e Victor Mendes é músico e compositor. Parceiros há 10 anos, já desenvolveram diversos trabalhos juntos, como compositores e em apresentações em que unem música e poesia através da leitura e da recitação. O mais recente trabalho da dupla, o disco “Nossa Ciranda”, conta com treze canções, quase todas feitas em parceria. Sendo Paulo de Patos de Minas-MG, e Victor de São José dos Campos-SP, os dois se encontraram na capital paulista, resolvendo suas tantas diferenças, como esta de origem e a de geração (Paulo tem 23 anos a mais que Victor), criando uma identidade artística própria, ainda em formação. Após apresentarem em diversas cidades o show "Puisia", com o grupo Trio José, Victor e Paulo se encontram para este novo projeto.
Classificação: Livre